sábado, 12 de junho de 2010

V EEJMA-GO

video

APRESENTAÇÃO

O Coletivo Jovem de Meio Ambiente de Goiás, realiza entre os dias 30 de junho e 03 de julho de 2010 seu V ENCONTRO ESTADUAL DE JUVENTUDE PELO MEIO AMBIENTE DE GOIÁS (EEJMA-GO), no município de Rio Verde, GO.

O V EEJMA-GO busca fortalecer o movimento de Juventude pelo Meio Ambiente em Goiás, que vem se consolidando em virtude das várias ações desenvolvidas e/ou provocadas pelo Coletivo Jovem de Meio Ambiente. Tendo como grande desafio aproximar e levar a temática socioambiental e socioeducativa a outros movimentos de juventude organizados, através de uma Educação Ambiental crítica e emancipatória.

A intenção do evento é a de continuar a fomentar e fortalecer as ações do Coletivo Jovem de Meio Ambiente, a partir da premissa “Pensar globalmente e agir localmente”, incentivando a articulação as juventudes goianas em organizações locais da sociedade civil comprometidas com as questões socioambientais, contribuindo para a construção do Programa Estadual de Juventude pelo Meio Ambiente de Goiás, iniciada em 2009 no IV Encontro do Movimento, realizado em Anápois.

A proposição de se ter um Programa Estadual de Juventude pelo Meio Ambiente em Goiás, vem ao encontro da necessidade de unificar projetos e ações voltados para esta temática, mas que acontecem atualmente de maneira pontual, dependendo muito da boa vontade de gestores públicos. Em âmbito nacional, o Programa de Juventude e Meio Ambiente é construído através de um Grupo de Trabalho (GT) Interministerial – Ministério da Educação, Ministério do Meio Ambiente e Secretaria Nacional de Juventude – instituído através de Portaria. O GT realiza consultas públicas com os movimentos de juventude e meio ambiente organizados que contribuem diretamente com a construção do Programa.

Assim, buscamos com o V EEJMA-GO desencadear um processo de articulações de organizações da sociedade civil formadas por jovens com foco nas questões socioambientais, fortalecendo o processo de construção do Programa de Juventude e Meio Ambiente em âmbito estadual, em parceria com as várias instituições do poder público (União, Estado e Municípios), de Empresas e de organizações da sociedade civil (ONGs, movimentos de juventude, CJs etc), objetivando ainda, estreitar laços entre estes atores, numa relação mutua de parceria, no enfrentamento das questões ambientais locais e da construção de sociedades sustentáveis.

O que é o Coletivo Jovem de Meio Ambiente – CJ?

Os Coletivos Jovens de Meio Ambiente (CJs) nasceram em 2003, durante a Conferência Nacional Infanto-Juvenil pelo Meio Ambiente, promovida pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e Ministério da Educação (MEC). Os CJs foram co-responsáveis pela organização de todo processo de conferência nos estados, contribuindo no engajamento de outros jovens, seguindo o princípio “jovem educa jovem”.

Os Coletivos Jovens de Meio Ambiente “são grupos informais que reúnem jovens representantes ou não de organizações e movimentosde juventude que tem como objetivo envolver-se com a questão ambiental e desenvolver atividades relacionadas à melhoria do meio ambiente e da qualidade de vida. Esses coletivos são como redes locais, para articular pessoas e organizações, circular informação de forma ágil, pensar criticamente o mundo a partir da sustentabilidade, planejar e desenvolver ações e projetos, produzir e disseminar propostas, que apontem para sociedades mais justas e eqüitativas, dentre outras ações e realizações”, segundo “Coletivos Jovens de Meio Ambiente: Manual Orientador. MEC/2005”.

OBJETIVO GERAL

Fomentar e fortalecer as ações do Coletivo Jovem de Meio Ambiente, a partir da premissa “Pensar globalmente e agir localmente”, incentivando a mobilização das juventudes goianas em organizações locais da sociedade civil comprometidas com as questões socioambientais, contribuindo para a construção do Programa Estadual de Juventude pelo Meio Ambiente de Goiás.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Fortalecer e articular Coletivos Jovens de Meio Ambiente de Goiás e suas ações;
integrar o movimento de juventude pelo meio ambiente com outras juventudes;
contribuir para a construção do Programa Estadual de Juventude pelo Meio Ambiente de Goiás;
oferecer formações de suporte às organizações sociais juvenis que atuam com as questões socioambientais;
aprofundar nas discussões das Políticas Públicas de Juventude, em especial para as voltadas para a questão ambiental;
PERÍODO
30 de junho a 03 de julho de 2010.


LOCAL
FESURV - Universidade de Rio Verde
Município de Rio Verde, GO.

sábado, 27 de março de 2010

A hora do planeta

O WWF Brasil mobiliza . A Hora do Planeta é uma campanha mundial da Qual Querem mobilizar 1 bilhão de pessoas em todo o planeta. Vamos mostrar aos líderes dos governos e a toda a sociedade que é hora de combater as causas do aquecimento global. A Hora do Planeta é o maior movimento da História em defesa do meio ambiente. Você não pode ficar de fora! participe ...
video

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Lista dos Integrantes do Cj Rubiataba

Integrantes :

Ivanete O. Dos Santos Pessoa
Marcos Vinicius Dourado Lopes
Fernando Yuri SILva dos Anjos
Maria Leila da Silva
Welida Martis de Oliveira
Patricia Silverio Diniz
Danilo
Bianca
Laura de Matos
Jessica Mayara
Jessica Silva
Carlos
Ricardo
Marcos
Camila
Karlos
Neila
Agente Jovem
Membros Do Gremio
Paula Renata
Bruna Keruli
Poliana
Maira

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Reunião do Cj Rubiataba em Nova América 15 /08/08.

Cj

Construção do cj de Nova América, começou com uma oração do Padre Junior e com a fala da cordenadora Ivanete , a participante Leila apresentou o cj .O que é cj? Qual e a atuação do cj? E
como participar. O Padre Junior falou que a ciadade de Nova América que já teve iniciativa de projetos ambientais mas não prosperou .
E se ispirando no Projeto Córrego da Serra , eles pretendem criar um projeto pra salvar o Córrego da Baunilha. Logo após fomos conhecer um tal córrego da baunilha , é ele esta pedindo socorro e nos vamos ajudar .
Projetos

- Socorrer o córrego;
-Ampliar a tubulação da passagem da água;
-Coleta de sementes , pra fazer mudas pra reflorestamento;
-Projeto: criar um ponto de coleta seletiva.

sábado, 15 de novembro de 2008

Reunião do cj Dia 9/11/08

Construção do cj de Nova América , começou a reunião com uma oração com o padre Junior ,e com os alunos . A Ivante sitou uma parte que eu gostei muito , ela falou que nos o seres humanos ele e um gransinho de areia parto de tanta a areia que tem eu seja nada , a Leila apresentou o cj . que e ele e ,o que a atuação do cj e como participar , o Padre Junior sitou que em nova América já teve iniciativa mais não prosperou ,. E espirando a iniciativa do córrego da serra eles criou o projeto córrego da baunilha e na reunião , fomos conhecer o córrego da baunilha , nosso o córrego que ta pedindo socorro ele e mais e coitado ;

-Socorrer o córrego .

-Ampliar a tubulação da passagem do córrego do baunilha.

-Coleta de sementes .

- Projeto da coleta seletiva em nova América.

-Arte na lata e outros .

sábado, 11 de outubro de 2008

Projeto Córrego da Serra de Rubiataba na REDE RECORD



O projeto de educação ambiental Córrego da Serra, de Rubiataba - Goiás, voltou a ser destaque nacional no final do mês de junho. Uma turma de alunos esteve em Rede nacional de televisão na REDE RECORD.

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Aquecimento Global

Aquecimento global


Refere-se ao aumento da temperatura média dos oceanos e do ar perto da superfície da Terra que se tem verificado nas décadas mais recentes e à possibilidade da sua continuação durante o corrente século.
Se este aumento se deve a causas naturais ou provocadas pelo homem. Recentemente e afirmado que consideram provado que a ação humana realmente está influenciando na ocorrência do fenômeno. Em
1988, mais recentediz que grande parte do aquecimento observado durante os últimos 50 anos se deve muito provavelmente a um aumento do efeito estufa, causado pelo aumento nas concentrações de gases estufa de origem antropogênica (incluindo, para além do aumento de gases estufa, outras alterações como, por exemplo, as devidas a um maior uso de águas subterrâneas e de solo para a agricultura industrial e a um maior consumo energético e poluição).